Share
 
 
 
Quinta-Feira, 17 de de 2017


Publicite no Portal HACCP

subscreva o nosso feed rss
Bookmark e Partilhar Facebook Twitter

Pesquisa


frase exacta
Todas as palavras
Qualquer palavra

Untitled Document
Registo
Login

Registe-se

Recuperar Password

Untitled Document
Enquadramento Legal
Legislação

Regulamentos

Normas IPQ

Untitled Document
Pub
 
 
Untitled Document
Informações
Divulgar Empresa

Destacar Empresa

Publicitar no Portal

Divulgar Cursos

Divulgar Eventos

Banners

Contactos

Untitled Document
Eventos
Alimentaria & Horexpo Lisboa 2011 - Lisboa a 2011-03-27

Alimentaria 2010 - Salón Internacional de la Alimentación y Bebidas - Barcelona, Espanha a 2010-03-22

NUTRITION AWARDS 2010 - Portugal a 2009-11-16

Mais Eventos 

Noticias
 
 
 
PE quer sumos de fruta mais saudáveis

2011-05-30
 
A comissão do Meio Ambiente, Saúde Pública e Segurança Alimentar do Parlamento Europeu aprovou uma informação sobre a modificação da directiva sobre sumos de fruta para consumo na União Europeia, que pretende que esses sejam mais saudáveis e com melhor informação.

Andrés Perelló destaca no seu texto que os sumos naturais e os procedentes de concentrados não podem adicionar mais açúcar na sua composição e apenas permitir o mesmo para a categoria classificada como néctar, embora especificando o tipo e a quantidade.

Na actualidade é permitido acrescentar 15 gramas por litro sem mencionar nas etiquetas, e também com a finalidade de ajudar o consumidor a distinguir entre sumo e néctar, durante os primeiros anos de aplicação da nova directiva deve ter a indicação “sem açúcar adicionado” nos sumos naturais.

O eurodeputado sublinhou também a necessidade de que os sumos de frutas que se encontrar no mercado tenham indicação clara, de forma a evitar confusões por parte do consumidor, declarando que não querem «nem desenhos nem denominações enganosas».

Em relação à proibição de utilizar sumo de tangerina sem mencionar na etiqueta, uma prática permitida para sumos importados, mas não nos fabricados na União Europeia (UE), o deputado reclama que se exija “igualdade e reciprocidade” para os produtores europeus e os procedentes de países terceiros, considerando que sem estes factores «a norma de qualidade alimentar não tem qualquer sentido».

O responsável relembrou ainda que «as tendências na actual dieta estão a mudar e por isso reclamam que a informação disponibilizada aos consumidores seja precisa, para que estes possam eleger que produtos querem com a maior transparência possível».
 
In Agrodigital e Confagri
 
Partilhe esta Notícia: Bookmark and Share
rss Receba as últimas Notícias no seu email (RSS Feeds)
Portal HACCP - Portal de Segurança Alimentar no Facebook Portal HACCP - Portal de Segurança Alimentar no Facebook
Portal HACCP - Portal de Segurança Alimentar no Twitter Portal HACCP - Portal de Segurança Alimentar no Twitter


Ajuda