Share
 
 
 
Sexta-Feira, 24 de Novembro de 2017


Publicite no Portal HACCP

subscreva o nosso feed rss
Bookmark e Partilhar Facebook Twitter

Untitled Document
Registo
Login

Registe-se

Recuperar Password

Untitled Document
Pub
 
 
Untitled Document
Conteúdos
 Transporte de Bens Alimentares

 HACCP

 Alimentação

 Microbiologia Alimentar

 Higiene Alimentar

 Conservação de Alimentos

 Limpeza e Desinfecção

 Actualidades

 Agricultura Biologica

 Doenças de Oirgem Alimentar

 Rotulagem

 Organismos Geneticamente Modificados

 Produtos Tradicionais (DOP, IGP, ETG)

 Entidades de Segurança Alimentar

Mais Conteudos 

Conteúdos - Segurança Alimentar
 
 
Produtos de Limpeza
 
Água
 
Usa-se na concentração 100%. Contém ar dissolvido e minerais solúveis.
  • função - dissolve e arrasta a sujidade
  • limitações - águas duras originam depósitos
  • humidade residual favorece crescimento microbiano

 
Alcalis
 
  • fortes
    • hidróxido sódio (soda cáustica): é o alcali mais forte e mais barato. Possui boas qualidades dissolventes. Excelente bactericida. Corrosivo para metais, especialmente para o alumínio; deve ser manipulado com cautela, causando queimaduras nos manipuladores. Precipita os sais de cálcio e magnésio insolúveis na água. Excelente poder dissolvente e saponificante
    • ortosilicato de sódio: boa capacidade saponificante. Corrosivo para o alumínio. Muito eficaz na limpeza do material
    • metasalicato de sódio: não é caustico, menos corrosivo que o hidróxido de sódio, pelo que são contaminados com frequência

  • fracos
    • carbonato de sódio: detergente débil, pouco corrosivo, precipita os sais de cálcio e magnésio das águas duras. Bom poder tampão (estabiliza o pH)
    • fosfato trisódico: bom poder emulsificante, saponificante e dispersante. Precipita os sais de cálcio e magnésio da água dura como flóculos

 
Ácidos
 
Pouco utilizados na indústria alimentar, já que são corrosivos. Devem ser manuseados com cautela, podendo causar queimaduras graves.
  • ácidos inorgânicos: os ácidos sulfúrico, clorídrico e nítrico foram muito utilizados na indústria dos lacticínios na eliminação de precipitados de água dura e da “pedra do leite” (depósito de proteína, carbonato de cálcio e outros sais) que se formam nos pasteurizados. Por serem muito corrosivos foram substituídos pelos ácidos fosfórico e sulfâmico. Bom poder sequestrante e dissolvente
  • ácidos orgânicos: possuem boa acção bacteriostática. Bom poder dissolvente e sequestrante. Muito utilizados na lavagem de garrafas e na eliminação de depósitos inorgânicos e pedra do leite.

 
Tensioactivos - surfatantes
 
Diminuem a tensão superficial da água para facilitar o poder molhante. Os sabões são os tensioactivos clássicos; são constituídos por sais de potássio ou sódio dos ácidos gordos (esteárico, palmítico e oleico); são relativamente eficazes em águas pouco duras, mas pouco solúveis em água fria. Formam precipitados com o cálcio das águas duras dando origem a depósitos insolúveis.

Foram substituídos por detergentes sintéticos, que podem ser aniónicos, catiónicos, não iónicos e anfotéricos, dependendo da sua carga eléctrica activa quando estão em solução. Quando predominam as cargas negativas o surfatante classifica-se como aniónico; se predominam as positivas classificam-se como catiónicos; se não se dissociam em solução denominam-se não iónicos; quando a carga dominante varia, prevalecendo as condições ácida ou alcalina, denomina-se anfotérico.

Os tensioactivos têm excelente poder humidificante, dispersante e emulsificante; são facilmente arrastados pela água. Têm fraco poder bactericida, com excepção dos catiónicos; não são corrosivos nem irritantes; são estáveis em soluções ácidas e alcalinas. Solúveis em água fria. Muitos surfatantes formam espuma em excesso, sendo necessário adicionar agentes anti-espuma.

 
Sequestrantes
 
Adicionam-se aos detergentes para contrariarem a precipitação dos sais de cálcio e magnésio. A quantidade de sequestrante que se adiciona depende da dureza da água e da fórmula geral do detergente. Classificam-se em orgânicos e inorgânicos.

Como sequestrantes inorgânicos empregam-se os tripolifosfato sódico e o tetrafosfato sódico considerados como os verdadeiros sequestrantes, isto é, eliminam os iões cálcio e magnésio da água, formando um complexo sem originar precipitação prejudicial dos fosfatos de cálcio e magnésio; são bons emulsificantes, dissolventes, dispersantes e, geralmente, facilitam o enxaguamento. Não são corrosivos. Fraco poder bactericida.

O pirofosfato tetrasódico actua principalmente como precipitante. O tripolifosfato de sódio e o tetrafosfato de sódio são verdadeiros sequestrantes, ou seja, eliminam os iões de cálcio e magnésio da água.

Como sequestrantes orgânicos, também chamados agentes quelantes, empregam-se o ácido etilendiaminotetraacético (EDTA) e o ácido nitriloacético (NTA). Pela sua solubilidade utilizam-se em fórmulas de detergentes líquidos.

 
Formulação de Detergentes
 
Actualmente, as fórmulas dos detergentes são misturas cuidadosamente preparadas de diferentes substâncias químicas, contribuindo, cada uma delas, para as propriedades que se pretendem para o detergente. Qualquer agente de limpeza deve conter.
  • substâncias alcalinas para desagregar as gorduras
  • surfatantes para facilitar a dispersão, o enxaguamento, e o poder molhante
  • sequestrantes para estabilizar o magnésio e o cálcio
  • um inibidor da corrosão

 
Exemplos de Fórmulas de Detergentes
 
  • detergente múltiplas funções
    • carbonato de sódio - 30%
    • metassilicato de sódio - 35%
    • alquil aril sulfato - 5%
    • tripolifosfato de sódio - 30%

  • agente de limpeza alcalino
    • hidróxido de sódio - 12%
    • carbonato de sódio - 20%
    • metasilicato de sódio - 45%
    • tripolifosfato de sódio - 20%
    • surfatante não iónico - 3%

  • agente de limpeza ácido
    • ácido fosfórico - 35%
    • surfatante não iónico - 1%
    • água - 64%

 
   

Ajuda