Share
 
 
 
Sexta-Feira, 24 de Novembro de 2017


Publicite no Portal HACCP

subscreva o nosso feed rss
Bookmark e Partilhar Facebook Twitter

Untitled Document
Registo
Login

Registe-se

Recuperar Password

Untitled Document
Pub
 
 
Untitled Document
Conteúdos
 Transporte de Bens Alimentares

 HACCP

 Alimentação

 Microbiologia Alimentar

 Higiene Alimentar

 Conservação de Alimentos

 Limpeza e Desinfecção

 Actualidades

 Agricultura Biologica

 Doenças de Oirgem Alimentar

 Rotulagem

 Organismos Geneticamente Modificados

 Produtos Tradicionais (DOP, IGP, ETG)

 Entidades de Segurança Alimentar

Mais Conteudos 

Conteúdos - Segurança Alimentar
 
 
Definição de Limpeza
 
A limpeza é um processo pelo qual se suspende ou dissolve a sujidade em água, geralmente. Destina-se a eliminar todos os materiais indesejáveis (resíduos alimentares, microrganismos, incrustações, gorduras, etc.) que se encontram nos equipamentos, utensílios, deixando-os limpos e sem vestígios dos agentes de limpeza.

 
Métodos de Limpeza
 
  • físicos
    • aplicação de formas de energia
      • raspar e esfregar

    • água sob pressão

  • químicos
    • detergentes
      • alcalinos e ácidos

A eficiência do processo de limpeza depende:
  • do tipo e quantidade de resíduos a eliminar
  • das propriedades químicas e físico-químicas do agente de limpeza, de acordo com a concentração, temperatura e tempo de exposição usados
  • da energia mecânica aplicada
    • ex.:turbulência nos tubos das soluções de limpeza, efeito de agitação, impacto de jacto de água

  • do estado de conservação das superfícies a limpar
  • do tipo de material a limpar

Neste processo, o principal interveniente é a água, cuja eficácia aumenta com:
  • aplicação de formas de energia (jacto de água, raspar, esfregar)
  • emprego de coadjuvantes químicos
    • agentes de limpeza que actuam:
      • diminuindo a tensão superficial
      • emulsionando, peptisando, suspendendo e solubilizando os diferentes tipos de sujidade.

A água é usada como solvente de todos os agentes de limpeza e desinfecção em lavagens intermédias (enxaguamentos) e na lavagem final do equipamento e instalações. A qualidade química e microbiológica da água é de importância decisiva para a eficiência dos processos de limpeza.

A água usada na limpeza tem de ser potável. Pode conter impurezas em suspensão, que devem ser reduzidas ao mínimo de modo a ser evitada a sua deposição nas superfícies a lavar. Esta água deve ser tratada por filtração.

Quando a água contém uma quantidade excessiva de iões de cálcio e magnésio, denomina-se água dura. Diz-se dureza temporária se os iões de cálcio e magnésio se precipitarem sob a forma de carbonatos insolúveis quando a água for aquecida até à ebulição. Diz-se dureza permanente se iões, sulfatos e nitratos de cálcio e magnésio, presentes na água, não se precipitarem quando a água for aquecida à ebulição.

Além de reduzir a eficácia dos agentes de limpeza, a água dura origina a formação de depósitos ou incrustações que:
  • facilitam a acumulação de microrganismos e protegem-nos da acção do calor
  • reduzem a taxa de transferência de calor nas superfícies de contacto dos permutadores
  • tendem a aumentar a corrosão

A formação de incrustações pode ser evitada pela adição de agentes quelantes e sequestrantes que se ligam ao cálcio e magnésio, levando à formação de sais insolúveis. A correcção das águas pode ser feita por um dos seguintes métodos:
  • mistura de cal e soda cáustica, que converte os iões de cálcio e magnésio em sais insolúveis que se depositam
  • zeolite, resina de troca iónica, é um silicato complexo e que na forma sódica troca iões sódio por iões cálcio, magnésio e ferro
  • desionização (resinas aniónicas ou catiónicas que fazem a troca de iões)

Por vezes, a água a utilizar na indústria alimentar precisa de ser submetida a um tratamento prévio. O tratamento a que a água deve ser submetida para se tornar água potável depende do nível de contaminação.Assim, água que vai ser utilizada na indústria alimentar pode precisar de tratamentos prévios que podem ser:
  • coagulação e floculação
    • adição à água de coagulantes
      • sulfato de alumínio, sulfato ferroso, etc.

  • filtração lenta em areia
    • areia (antracite e cascalho disposto em camadas) com 0,2 - 0,4 mm de diâmetro

  • desinfecção por meios químicos ou físicos

Além da água, cuja importância foi anteriormente referida, destacam-se os detergentes. Detergentes são produtos químicos que, por diferentes mecanismos, produzem reacções químicas que eliminam a sujidade. Características dos detergentes:
  • solubilidade rápida e completa
  • não serem corrosivos
  • capacidade para amolecer a água
  • boa capacidade de dissolver resíduos sólidos
  • acção dispersante
  • acção de lavagem
  • serem atóxicos
  • estáveis durante o armazenamento
  • económicos

 
Fazes da Operação de Limpeza
 
  • eliminação de resíduos por remoção física (pré-lavagem)
  • enxaguamento com água tépida ou fria
  • aplicação da solução detergente
  • enxaguamento com água tépida ou fria

A eliminação de resíduos por remoção física (pré-lavagem) consiste na remoção de resíduos aderentes aos equipamentos, superfícies de trabalho e utensílios, com água tépida à pressão (jactos com intensidade moderada), esfregando com escovas, vassouras, etc..

Água muito quente pode originar a coagulação de resíduos por desnaturação proteica, enquanto que a água fria pode solidificar as gorduras, tornando-os mais aderentes às superfícies em que se encontram, dificultando a sua remoção.

Para se obter uma limpeza perfeita é necessário que a solução detergente:
  • entre em contacto íntimo com os resíduos a serem removidos, devido às suas características molhantes e penetrantes
  • promova a remoção de resíduos sólidos e líquidos por acção saponificante (gorduras), peptizante (proteínas) e solvente (sais minerais)
  • promova a dispersão de sujidade por acção dispersante, desfloculante ou emulsionante

Factores a ter em atenção na operação de limpeza:
  • selecção de equipamento e materiais que facilitem a limpeza
  • luminosidade adequada para assegurar boa limpeza
  • conhecimento dos resíduos a remover, distinguindo hidratos de carbono, proteínas, gorduras de agentes alcalinos minerais, uma vez que as características próprias de cada um exigem a aplicação do detergente correcto
  • analisar a água previamente, de modo a conhecer as suas características e proceder ao seu tratamento prévio se for necessário
  • utilização correcta de detergentes, tendo em atenção:
    • concentração das diluições
    • temperatura de utilização
    • tempo de actuação
    • velocidade - refere-se normalmente a circuitos fechados e relaciona-se com a passagem do fluxo e com a turbulência

 
   

Ajuda